Notícias Relacionadas


Caso Bernardo: Encerrada a fase de debates. Conselho de Sentença decidirá

15/03/2019 - 15:04

No quinto dia de julgamento, o J√ļri dos r√©us acusados de matar o menino Bernardo Boldrini se encaminha para a sua fase final. Na manh√£ desta sexta-feira acusa√ß√£o e defesas tiveram a chance de refor√ßar seus √ļltimos argumentos para os sete jurados que integram o Conselho de Senten√ßa.

Daqui a pouco, a partir das 15h25min, eles se reunirão para votar e, ao final, a Juíza Sucilene Engler anunciará o resultado do julgamento.

Leandro Boldrini, Graciele Ugulini, Edelv√Ęnia Wirganovicz e Evandro Wirganovicz respondem pelos crimes de homic√≠dio quadruplamente qualificado, oculta√ß√£o de cad√°ver e falsidade ideol√≥gica (esse √ļltimo s√≥ Leandro).

R√ČPLICA

Para refor√ßar a acusa√ß√£o, o Minist√©rio P√ļblico apresentou trechos de conversas interceptadas dos suspeitos, laudos e os v√≠deos gravados por Leandro e Graciele discutindo com Bernardo. “Eles calaram a voz dele. Mas estamos aqui hoje representando Bernardo. Hoje ele grita por justi√ßa, justi√ßa, justi√ßa ¬Ņ, exclamou o Promotor Bruno Bonamente ao pedir a condena√ß√£o dos quatro r√©us.

Em um deles, tenta provar que Evandro Wirganovicz n√£o estava em f√©rias nem de licen√ßa-paternidade na data em que a cova foi aberta e que, por isso, n√£o poderia estar pescando. “O que ele fazia na propriedade da m√£e dele quando deveria estar trabalhando”, questionou Vieira.

A seguir, apresentou trecho de uma conversa entre Graciele e Edelv√Ęnia, ap√≥s o crime. Para ele, as duas creem na impunidade e debocham da situa√ß√£o. Elas comentam sobre as buscas ao menino, a naturalidade como falam. “Essa √© a mo√ßa constrangida por Graciele.” Na sequ√™ncia, o MP mostrou outro √°udio, onde elas narram o que teria acontecido no dia em que Bernardo esteve com elas em Frederico Westphalen, √ļltima vez em que o menino foi visto com vida. Neste momento, estariam combinando √°libis.

Em conversa com outra amiga, a mulher pergunta se Graciele estava rezando e a madrasta respondeu que n√£o tinha tempo nem de se co√ßar e j√° havia perdido quatro quilos. “Eu disse pro Leandro, mandar esse povo todo se f…ir embora daqui e deixar que morram. Chega a me dar √Ęnsia de v√īmito olhar para o povo desta cidade.”

Uma liga√ß√£o do padrinho de Bernardo para o celular de Leandro, no dia 11 de abril de 2014, onde o homem pergunta se a Keli realmente voltou com a crian√ßa da cidade vizinha. No viva-voz, ele questiona a madrasta. “Como certeza eu trouxe ele de volta”, respondeu ela. “Tu tem culpa no cart√≥rio”, acusou o padrinho de Bernardo.

O MP tamb√©m defende que Leandro dava medica√ß√£o de uso controlado e cont√≠nuo para Bernardo. “Dopava o filho.” E enfatizou o descaso do m√©dico com o menino. “De 1¬ļ de janeiro a 4 de abril (2014), Leandro falou 24 vezes com Bernardo pelo telefone. Esse √© o pai zeloso, atencioso, que tem a petul√Ęncia de vir com aquela camiseta”, criticou Vieira, se referindo √† roupa usada por Leandro nesta sexta. Na camiseta, h√° dois p√©s pintados, com os dizeres Pai, eu sigo os seus passos e assinatura de Maria Valentina, a filho dele com Graciele.

O MP tamb√©m leu trechos do laudo de psiquiatria que afirma que Leandro tem tra√ßos claros de psicopatia. “Leandro, Graciele e Edelvania s√£o psicopatas. Eu n√£o digo o mesmo de Evandro. Ele proporcionou a morte de Bernardo e a oculta√ß√£o do cad√°ver.”

TR√ČPLICA

Leandro Boldrini

O Advogado Rodrigo Grecell√© fez as considera√ß√Ķes finais na defesa de Leandro Boldrini. Defendeu que houve erro na conclus√£o das investiga√ß√Ķes da Pol√≠cia Civil. Afirmou que Leandro sempre quis ser julgado em Tr√™s Passos. “Vossas Excel√™ncias sabem quem √© Leandro Boldrini. Suas qualidades e defesas.”

Destacou a trajet√≥ria do m√©dico. “Um psicopata que, desde 2003, salva vidas de pessoas que voc√™s conhecem”. Grecell√© ainda refor√ßou que Leandro n√£o sabia das inten√ß√Ķes de Graciele, e muito menos do crime.

Em nenhum momento Leandro quis abrir m√£o do filho. Tamb√©m n√£o precisaria se preocupar com a heran√ßa deixada de Odilaine, uma vez que era um m√©dico bem-sucedido. “O mais requisitado da regi√£o.” Ao final, a defesa colocou o r√©u de p√© em frente ao j√ļri e os advogados se abra√ßaram a ele.

Graciele Ugulini

O Advogado Vanderlei Pompeo de Mattos reiterou que Graciele é ré confessa. Ela concorda que tinha problema de relacionamento com Bernardo, mas não teve intenção de matar (homicídio passaria de doloso para culposo).

Afastou as qualificadoras do motivo torpe e do motivo f√ļtil, mas admitiu o uso de veneno e da dissimula√ß√£o. Defendeu a semi-imputabilidade da r√©.

“N√£o estamos defendendo assassinos em s√©rie, l√≠deres de fac√ß√£o. Estou defendendo aquela guria de Santo Augusto. Se tiver que pagar, que seja o que deve. N√£o com penas b√°rbaras”, disse Pompeo.

“Estou pedindo uma an√°lise s√£, n√£o contaminada. Para atirar pedras, temos muitos. Temos vingadores de plant√£o que querem nos crucificar, quando trope√ßamos na vida, como fizeram com Jesus Cristo.”

Edelv√Ęnia Wirganovicz

Pela defesa da Assistente Social Edelv√Ęnia Wirganovicz atuaram os advogados Gustavo Nagelstein e Jean Severo. Em s√≠ntese, pediram a absolvi√ß√£o dela pelo crime de homic√≠dio e apenas participa√ß√£o na oculta√ß√£o de cad√°ver. A defesa da r√© tamb√©m criticou a den√ļncia do MP, que teria provas fr√°geis em rela√ß√£o √† acusada, apenas “sinais de fuma√ßa como prova”.

No entendimento da defesa, Edelv√Ęnia deve ser julgada apenas por oculta√ß√£o de cad√°ver. “Absolvi√ß√£o no homic√≠dio ou uma das teses da defesa (negativa de participa√ß√£o, coa√ß√£o irresist√≠vel e participa√ß√£o em crime menos grave). E tamb√©m que absolvam Evandro. “Deem uma oportunidade a esta mulher que n√£o tem ningu√©m na vida”, destacou Severo.

Evandro Wirganovicz

O Advogado Lu√≠s Geraldo Gomes dos Santos defendeu Evandro Wirganovicz. Refor√ßou o que disse no dia anterior, de que a acusa√ß√£o √© feita com base no “ach√īmetro”. “A acusa√ß√£o se resume: ele estava ou n√£o de f√©rias? E se deixa de lado todo elemento probat√≥rio, que inexiste no processo.”

A defesa apresentou ainda carta escrita por ela, dirigida ao Ju√≠zo de Tr√™s Passos, onde isentou Evandro da participa√ß√£o no crime. “Essa mulher vai cumprir duas penas: a do crime que ela cometeu e a do que ela fez para o irm√£o.”

Para Santos, a Assistente Social teria retornado ao local onde foi enterrado o corpo de Bernardo no dia 3 de abril de 2014 (v√©spera do crime). Uma testemunha viu o carro dela estacionado pr√≥ximo dali. “Ela volta l√° sozinha.” O depoimento do frentista que trabalhava¬† no posto localizado ao lado do pr√©dio onde Edelv√Ęnia morava aponta que ele a viu lavando o carro l√° e que o ve√≠culo estava embarrado. “Ela comentou com o depoente que teria ido na casa da m√£e dela plantar flor. Recorda o depoente que ela estava suja. E sozinha.”

“Coloquem ele cavando aquele buraco. Isto nunca existiu”, afirmou o defensor, pedindo a absolvi√ß√£o do r√©u.

Após o intervalo, os jurados retornam para iniciar a votação. Quando finalizado, juíza anunciará o resultado do julgamento, proferindo a sentença.

Transmiss√£o

O Tribunal de Justiça do RS está transmitindo ao vivo a íntegra do julgamento.

Assista pelo site do TJRS: http://www.tjrs.jus.br/transmissao/

Ou acompanhe em tempo real pelo Twitter: https://twitter.com/TJRSaovivo

Fonte: Imprensa / TJRS
dicom-dimp@tjrs.jus.br

 

Voltar