Digitalização dos processos avança nos Juizados da Infância e Juventude

1ª Vice-Presidente e Diretor do Foro da Capital visitaram do 4º JIJ, que em breve será 100% digital. Créditos: Eduardo Nichele

Os trabalhos de digitalização no 4º Juizado da Infância e Juventude (JIJ), que teve a primeira célula de apoio formada na segunda quinzena de janeiro, foram encerrados ontem (09/2). Nesse projeto foram digitalizados cerca de 500 processos que, a partir de agora, estarão em fase de conclusão da indexação e, até o final desta semana, já poderão tramitar eletronicamente no eproc.

O projeto, liderado pela 1ª Vice-Presidente do TJRS, Desembargadora Liselena Schifino Robles Ribeiro, conta com a união de esforços de diversas áreas do Tribunal de Justiça. Segundo a Desembargadora Liselena, “o objetivo é alavancar o crescimento da produtividade, demonstrando o empenho da atual administração com a digitalização dos processos físicos, que é uma das principais metas assumidas por todos nós”. Ela esteve visitando ontem a célula de apoio, acompanhada pelo Diretor do Foro de Porto Alegre, Juiz de Direito Márcio André Keppler Fraga, do Diretor da Direção de Tecnologia da Informação e Comunicação (DITIC), Antonio Braz, e do Assessor da Presidência, Ivandre de Jesus Medeiros.

Na oportunidade, a Juíza do 4º JIJ, Cleciana Guarda Lara Pech, disse que “a equipe do 4° JIJ está muito feliz com a digitalização dos processos da unidade e com a possibilidade iminente de se trabalhar integralmente com o eproc”. Ela agradeceu o empenho da Administração do TJ para a concretização da iniciativa: “O advento da pandemia deixou evidente a necessidade dessa evolução para que a prestação jurisdicional siga de maneira célere e com menores custos”, concluiu a Juíza.

Juíza Cleciana, sorridente, de cabelos castanho-claro longos, tem cabelos longos. Usa blusa em estilo regata, na cor rosa claro. Está em pé e tem ao fundo uma mesa com dois monitores, um na vertical, outro na horizontal, e uma cortina de correr na cor bege.

Juíza Cleciana Pech diz que equipe do 4° JIJ está muito feliz com a possibilidade iminente de se trabalhar integralmente com o eproc
Créditos: Eduardo Nichele

O Diretor da DITIC, Antonio Braz, afirmou que “esta experiência proporcionou diversos aprendizados para o avanço da digitalização em todo Estado”. Ele acrescentou que “é motivo de muita comemoração para o Judiciário a conversão do 4º JIJ em vara digital, concluindo o projeto que se iniciou com a implantação do Eproc na matéria da Infância e Juventude em outubro de 2020”.

Escrivã

Escrivã do 4ºJIJ, Karine Bighelini atuou no projeto, em que foram digitalizados cerca de 500 processos da unidade
Créditos: Eduardo Nichele

Próximas células

O projeto-piloto avança agora para a 1ª Vara de Família do Foro Central, com previsão para o começo dos trabalhos em novas células na próxima semana, em conjunto com o 1º JIJ do Foro Central, que já está com os trabalhos de digitalização em andamento.

O projeto de conversão do acervo físico para eletrônico faz parte do Plano Estratégico Institucional 2021-2026 e está enquadrado no Objetivo Estratégico da Virtualização Processual.

Reunião Virtual

A Administração do TJ, também no dia de ontem, esteve reunida virtualmente com os Juízes da Infância e Juventude. Segundo o Presidente, Desembargador Voltaire de Lima Moraes, o “objetivo foi ouvir as principais demandas dos magistrados, além de conversar sobre os avanços que a área da informática vem promovendo junto ao Judiciário gaúcho, em função das adaptações necessárias decorrentes da pandemia”.

Imagem do participantes da reunião virtual, magistrados do JIJ e Presidente do TJAdministração do TJ reuniu-se virtualmente com magistrados do JIJ
Créditos: Eduardo Nichele

Também participaram do encontro a 1ª Vice-Presidente, Desembargadora Liselena Schifino Robles Ribeiro, o 2º Vice, Desembargador Ícaro Carvalho de Bem Osório, o 3º Vice, Desembargador Ney Wiedemann Neto, além da Corregedora-Geral da Justiça, Desembargadora Vanderlei Teresinha Tremeia Kubiak, do Diretor do Foro de Porto Alegre, Juiz de Direito Márcio André Keppler Fraga, da Juíza-Corregedora Coordenadora da área da Infância e Juventude do RS, Nara Cristina Neumann Cano Saraiva e do Juiz-Corregedor Luís Antônio de Abreu Johnson. Acompanharam a reunião as Juízas Carmen Carolina Veiga Cabral e Tania da Rosa, do 2° Juízo do Juizado Regional da Infância e Juventude, e Karla Aveline de Oliveira, do 3º Juizado do Juizado Regional da Infância e Juventude, e o Juiz de Direito Charles Maciel Bittencourt , da Justiça Instantânea , além das Juízas Mirtes Blum, do 2º Juízo, e Cleciana Guarda Lara Pech, do 4º Juízo do Juizado Regional da Infância e Juventude. O Juiz Daniel Englert Barbosa, do 1º Juízdo do Juizado Regional da Infância e Juventude, também participou do encontro.


Texto: Renato de Oliveira Sagrera
Assessora-Coordenadora de imprensa: Adriana Arend | imprensa@tjrs.jus.br