Primeira turma de facilitadores judiciais do TJRS
recebe certificado em Porto Alegre

A cerimônia de certificação dos primeiros facilitadores judiciais do Poder Judiciário na Comarca de Porto Alegre foi marcada pela emoção, na manhã desta terça-feira, 16/7. Reunidos no Centro de Formação e Desenvolvimento de Pessoas do PJRS (CJUD), quatro dos seis formandos receberam o diploma das mãos do Desembargador Eduardo Kraemer, Coordenador do CJUD.

Pioneiro na implantação da Justiça Restaurativa (JR) no estado, o Desembargador Leoberto Brancher também prestigiou o evento. Ele lembrou do Programa Justiça Restaurativa para o Século 21, em 2005, que deu início à implantação da JR como política no Judiciário gaúcho e serviu de referência para o país. Para nós é um triunfo passar a contar com a qualidade desses facilitadores, afirmou o magistrado.


Quatro dos seis formandos receberam o diploma hoje,
em ato realizado no CJUD/POA.
Na foto, com Mary Biancamano, Desembargador Kraemer,
Simone Pozza e Juiz Fábio Heerdt
(Fotos: Eduardo Nichele)

O grupo foi recepcionado também pela Assessora Técnica da Justiça Restaurativa no NUPEMEC, Simone Sarate Pozza, pela Coordenadora Pedagógica do CJUD, Mary Biancamano e pelo Juiz Coordenador do CEJUSC Porto Alegre, Fábio Vieira Heerdt.


Desembargador Eduardo Kraemer, Coordenador do CEJUSC,
fez a entrega dos diplomas

Segundo o Juiz Fábio Heerdt, participam dos Círculos da Paz as vítimas, as famílias e os ofensores: O resultado desse trabalho é informado ao magistrado que está com o processo e vai fazer a decisão. Podemos ter um acordo. A intenção é que todos enxerguem a própria vida com mais autonomia. Nós fornecemos as ferramentas para que as pessoas comecem a tomar conta da própria vida, salienta o magistrado, referindo-se ao trabalho realizado pelos facilitadores que atuam em situações de conflito.


Desembargador Leoberto Brancher,
Coordenador da Justiça Restaurativa no NUPEMEC/TJRS,
participou da abertura do evento

Os facilitadores participaram de 240 horas/aula em estudos e práticas de forma presencial e via EaD. Agora, eles estão habilitados para atuarem em processos criminais, nos Círculos de Construção de Paz da Justiça Restaurativa. Eles foram habilitados para situações onde é possível autocomposição de conflitos na esfera judicial.

Atualmente, 42 servidores de 13 CEJUSCs do Estado estão em formação no curso para facilitador judicial do CJUD.


EXPEDIENTE
Texto: Patrícia Cavalheiro
Assessora-Coordenadora de Imprensa: Adriana Arend
imprensa@tjrs.jus.br
 


Publicação em 16/07/2019 13:02
Esta notícia foi acessada: 844 vezes.

Tweetar